hashtags1Acredite, há uma forma certa de se usar Hashtags. A hashtag surgiu no começo da popularização do uso doméstico de internet, ainda na década de 1990, nas plataformas IRC – a mais comum no Brasil era a mIRC. Nestas plataformas, as hashtags eram usadas para separar os grupos de discussão em tópicos de interesse.

A primeira rede social a utilizar hashtags era a Jaiku, rede que foi comprada pelo Google e nunca teve seu grande boom como outras tiveram. A ideia era a mesma – utilizar o símbolo # para separar fóruns por temas de interesse. Em 2007, porém, um programador defensor de códigos livres sugeriu ao Twitter não só o uso de # na plataforma, mas um uso mais livre, de forma que a hashtag auxiliasse a busca de conteúdos diversos que estivessem vinculados a ela.

A revolução feita pelo Twitter quando a rede de microblogging resolveu adotar a ideia deste programador – Chris Messina, é o nome dele – abriu um mundo de possibilidades para o uso das hashtags. Em 2009, quando o uso das hashtags chegou a esse patamar com o twitter criando um link para qualquer palavra ou expressão precedida por um #, qualquer usuário que clicasse numa hashtag qualquer passou a ter acesso a toda a rede de conteúdo que é produzido usando aquela palavra-chave, dentro e fora de suas timelines, worldwide.

Isso trouxe uma outra revolução para o Twitter – o surgimento de trending topics. Essa sim, é a maior revolução que a hashtag fez na produção de conteúdo online – a possibilidade de mensurar on time o surgimento ou declínio de um assunto ou tendência. A mudança foi tão revolucionária nesta questão métrica que outras redes logo adotaram também: Tumblr, Google+, Pinterest e Instagram adaptaram rapidamente o uso de hashtags às suas necessidades. A última rede a adotar o uso de hashtags foi o Facebook. E a adoção tardia do Facebook tem uma razão – a privacidade dos usuários.

Mas, afinal, como usar hashtags corretamente?

O uso correto varia de rede para rede. Mas, para usar uma hashtag, principalmente no caso de marcas, é preciso ter bom senso. Para não ficar confuso, vamos separar o uso de hashtags em cada rede social.

Twitter

Você tem 140 caracteres para passar sua mensagem. Então é importante não comprometer muitos destes caracteres apenas com a sua hashtag. Hashtags que levam apenas o nome da sua marca também não fazem muito sentido para seus seguidores. Ao invés de utilizar hashtags com o nome da sua marca, opte por um software de monitoramento (como o Scup, o Radian6, o SocialBakers, o TweetDeck ou o Hootsuite) para monitorar as palavras-chave que te interessam na rede – dentre elas o nome da sua marca – e, a partir daí, interagir com os usuários.

Se sua estratégia não é exatamente de cultura de internet, talvez seja melhor não pegar carona em hashtags muito populares ou polêmicas. O oportunismo de marcas nas redes sociais nunca é bem visto e é preciso alinhar bem seu posicionamento online antes de pegar carona num hot topic.

Instagram

Embora o Instagram não tenha um limite de caracteres ou de hashtags que possam ser utilizadas em seus posts, a rede é focada em imagens. Logo, ninguém vai parar para ler seu textão ou seu mundaréu de hashtags.

Diferente do Twitter, a hashtag no Instagram pode ser usada para mais do que uma ferramenta de busca acerca de um tema que seja do seu interesse, mas como um verdadeiro arsenal de troca de seguidores e likes entre usuários.

Por conta disso, muitas marcas perdem a linha no uso de hashtags em seus posts no Instagram. Para manter uma postura coesa, procure usar no máximo entre 3 e 5 hashtags por post e que tenham temas realmente contundentes para seu público. Hashtags como #like4like #trocolikes e afins, embora muito usadas pelo usuários comuns para aumentar o número de seguidores, são muito mal vistas quando usadas por marcas.

Mais uma vez, usar também o nome da sua marca apenas não é a melhor estratégia também para esta rede. Utilize o nome da sua marca se ele estiver atrelado a uma campanha ou ação que esteja em curso. Hashtags diárias da rede como #MusicMonday, #tbt (ou #throwbacktuesday ou #throwbackthursday – sendo a segunda mais comum), #flashbackfriday e afins também devem ser usadas com parcimônia.

Vale lembrar que o Instagram tem uma atmosfera good vibes, então postagens com legendas muito longas ou muitas hashtags podem incomodar os usuários. Menos é mais na rede.

Pinterest

Hashtags podem identificar pins ou boards na rede. Então utilize hashtags que chame a atenção de seu público para as imagens que você está postando – numa mescla de como são utilizadas hashtags no Twitter e no Instagram – apenas o que é essencial, porque o que tem de “brilhar” é a imagem pinada.

Facebook

Utilizar ou não hashtags no Facebook ainda é um debate polêmico entre profissionais de mídias sociais. Para marcas, usar hashtags no Facebook faz sentido quando a Hashtag se enquadra em alguma campanha que está em curso.

Já para o usuário comum, não faz muito sentido utilizar hashtags se as postagens não estiverem no formato público, uma vez que a hashtag é, antes de tudo, uma ferramenta de busca. Se a postagem é privada, visível apenas para amigos ou redes personalizadas, não faz sentido utilizar hashtags.

Do’s and don’ts

Do’s

  • Independente da rede, utilize hashtags se elas fazem parte de uma campanha criada por você;
  • Teste o potencial viral da sua hashtag com ferramentas como o Google Trends e outras ferramentas de monitoramento;
  • Pense no que pode dar errado – ou como a sua hashtag pode virar ~zuera huehuebr~;
  • Eventos de grande porte como Copa do Mundo, Oscar e afins sempre têm hashtags oficiais para mensuração de conteúdo. Pense nisso se seu negócio também envolve produção de eventos;
  • Programas de televisão também têm hashtags próprias. Mas avalie antes se cabe na sua estratégia falar sobre estes programas.

Dont’s

  • Evite hashtags que levem apenas o nome da sua marca. Elas não acrescentam nada na sua postagem e podem ser incômodas para o usuário, levando-o a deixar de seguir seu canal;
  • Hashtags muito extensas ocupam muitos caracteres e perdem o sentido original do uso de hashtags que é sintetizar o assunto sobre o qual a postagem se trata;
  • Não use uma hashtag para cada palavra. O objetivo da ferramenta não é este;
  • Utilizar muitas hashtags numa postagem também incomoda os usuários e dificulta a identificação de um tema central e pode transformar seu conteúdo em spam. Evite.

Fique atento à nossa página do Facebook e do LinkedIn para mais notícias sobre marketing digital, redes sociais, comunicação, propaganda e design!

Comments

comments